10 julho 2016

Casamento! Quantos? E o caso da denúncia da pastora e do senador!

Casamento! Quantos? E o caso da denúncia da pastora e do senador!
Dr. Josimar Salum


Também entendo que existem duas excepcionalidades para o divórcio,  Porneia (impureza sexual - traição seria adultério) e abandono (I Coríntios 7 e mesmo assim apenas pelo cônjuge incrédulo). Mas não há nada que o perdão e a reconciliação não resolvam. Este é o Caminho no Evangelho. 

Mateus 19 fala de homens se divorciando de suas mulheres e a declaração clara de Jesus apontando a razão: pela dureza do coração dos homens que Moisés deu carta de divórcio. 

As excepcionalidades não podem se tornar a regra! O que ocorre nesta geração é a institucionalização e exaltação da exceção. Não existe excepcionalidade para um novo casamento se o cônjuge permanece vivo. E os discípulos entenderam tão bem isto que ficaram bem chocados.

“Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos por causa do Reino dos céus. Quem pode receber isso, que o receba.” Mateus 19:10-12

Para Jesus, o Senhor, assim é. Casamento, na Bíblia, é a união única e exclusiva entre um só homem e uma só mulher por toda a vida.

É deste conceito inalterável que precisamos, que a nossa geração precisa, que a próxima geração precisa ver restaurado em nosso meio! É de uma revolução como a que Esdras fez que precisamos nesta geração e para a próxima geração!

Casamento na Bíblia é aliança, conserto!!
“E dizeis: Por quê? Porque o Senhor foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher do teu concerto. E não fez ele somente um, sobejando-lhe espírito? E por que somente um? Ele buscava uma semente de piedosos; portanto, guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja desleal para com a mulher da sua mocidade. Porque o Senhor, Deus de Israel, diz que aborrece o repúdio e aquele que encobre a violência com a sua veste, diz o Senhor dos Exércitos; portanto, guardai-vos em vosso espírito e não sejais desleais.”
Malaquias 2:14-16 

Adao teve somente uma esposa! E Jesus também, tem somente uma: a Igreja (Efesios 5, versículos finais do capítulo).

Ao afirmar isto não expresso nada pessoal contra quem quer que seja. Ora, tornar-me-ia inimigo de alguém por dizer a verdade? Não teria eu amigos divorciados e "casados" novamente? Não os julgo nem os condeno. Mas deixaria de dizer: Não cobiçarás para aquele que cobiça? Deixaria de dizer: não dirás falso testemunho para aquele que diz falso testemunho?

Sim, esta confusão e destruição da família tem a colaboração muito forte daqueles que deveriam ser exemplo. E escrevo isto com temor e tremor, porque também não estou isento a estas coisas! Mas se um infortúnio destes acontecesse comigo porventura teria que mudar a minha convicção para adequar-me à minha nova situação? E se o fizesse, desfaria o plano de Deus? Deus muda? Jesus muda? Não foi assim desde o princípio? Deixará o homem seu pai e sua mãe e unir-se-à (unir, uno) e serão os dois uma só carne! Quantas vezes deixará o homem seu pai e sua mãe para casar-se e se tornar uma só carne? Como foi que chegamos a ir além em discussões, concílios e conferências sobre algo tão simples e definitivo! A Palavra de Deus é inalterável!

Há jeito de ser uma só carne duas vezes? Três vezes? A não ser pela morte de um dos cônjuges para sermos de outra? Não é o que o Espírito de Deus declara e este é o argumento principal do seguinte texto? Escrevo com voz bem suave e meu coração quebrantado! Sentindo a dor de quem vive de outro modo, mas o que sinto não mudará nunca o que o Senhor já disse!

“Não sabeis vós, irmãos (pois que falo aos que sabem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem por todo o tempo que vive? 

Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido. 

De sorte que, vivendo o marido, será chamada adúltera se for doutro marido; mas, morto o marido, livre está da lei e assim não será adúltera se for doutro marido. 

Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressuscitou de entre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus. 

Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte. 

Mas, agora, estamos livres da lei, pois morremos para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.” Romanos 7:1-6

Quanto ao que está na mídia, sobre o caso da "pastora e seu segundo marido que segundo indícios fez o que fez, sem entrar na descrição e repetição dos fatos e nem teria condições honestas de averigua-los - e nem é meu interesse - posso dizer o seguinte, enfim, sem mais detalhes, aqui: 

A raiz do problema: Casamento é a união única e exclusiva entre um só homem e uma só só mulher por toda a vida. Segundo casamento é adultério.

A tal da "Pastora" estava "casada" com outro que também é "pastor" e o filho do casamento dela estava vivendo junto com este "segundo marido", ou seja, o menino é enteado. Você já viu em algum lugar da Bíblia um enteado? Não me recordo! E esta confusão não é originada em divórcio e "segundo casamento?" Neste caso, não é a raiz do problema?

Escrevo isto sem nenhuma intenção de ofender quem quer que seja! Mas poderia eu desfazer o que o Senhor disse? O que Deus uniu não separe o homem." Se separou, foi Deus quem separou? E se uniu com outro homem foi Deus quem uniu se não foi assim desde o princípio?

Esta celeuma e discussões acirradas em torno deste tema mostram mesmo a raiz de um gravíssimo problema na Igreja e entre estes irmãos. Porque pelas Escrituras nenhum divorciado e casado de novo é padrão para a Igreja! Não pode ser! Não é! 

A senhora envolvida e o senador que tornou a público a questão do escândalo e a divulgação do mesmo pelas redes sociais é outro problema! No caso do senador é até louvável porque ele tem combatido veementemente a pedofilia no Brasil.  Mas quanto a nós Efésios 5 fala que o que eles fazem em oculto, até comentar é torpe! Por que estaríamos então difundindo estes escândalos incluindo o que relata outra reportagem que foi publicada do tal de "um pastor e um diácono em Belo Horizonte."? Este segundo então é uma palhaçada! Seria aquela abominação casamento? 

Vou repetir: Casamento é a união única e exclusiva entre um só homem e uma só mulher por toda a vida. E não consigo imaginar que qualquer teólogo possa lucidamente discordar desta afirmação se exclusivamente as Escrituras é sua fonte. 

No livro "O Manifesto", quando foi publicado muitos disseram que era exageradamente duro, nestes dias tem se mostrado muito ameno pela revelação pública das coisas que tem acontecido no meio evangélico, enfim,  o conteúdo do livro trata de todas estas coisas que afligem esta igreja morna baseada no relativismo dos pensamentos humanos que mudam de tempos em tempos. E aquilo que era revelação no livro agora está  começando a ser estampado na mídia como fatos praticados pelos sacerdotes evangélicos que estavam  cometendo há muitos anos atrás da parede. (Veja Ezequiel capítulo 9) 

Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós!

Em Cristo, a Verdade, contra quem não podemos senão pela Verdade. Nele, em quem falamos a Verdade em Amor, mas falamos.

JSalum


Se não puder comprar peça pelo WhatsApp neste número 1-774-696-3714


3 comentários:

Damivan Santos disse...

Boa tarde brother eu creio que você trnasmitiu o Conselho de Deus, para esta geração, sobre o tema casamento, divórcio e fundamento da família.

Finamente, a igreja chamada de Evangélica, quando eu fui trazido à fé no amado Jesus Cristo, em 1979, era quase unanimidade a rejeição ao divórcio e recasamento. E nem se discutia com quem um homem e uma mulher deveria casar-se.

Minha perspectiva é permanecer FIEL à PALAVRA, Até a morte afim de possa alcançar a Coroa da Vida.

Abraços

Tatiana Andrade disse...

Deixa ver se entendi....o fato do filho dela ter sido abusado sexualmente por um falso pastor e que assumiu sua homossexualidade foi devido ao 2 casamento? Mesmo o primeiro marido tendo a abandonado em estado vegetativo na época ? Hum...em fim ...admiro a coragem dela em ter denunciado este vigarista ..conheço vários casos de famílias cristãs mesmo que os filhos foram abusados sexualmente por um membro da família. Bom ...Deus é q7em sabe ne. Deixar nas mãos do Senhor o juízo .

Josimar Salum disse...

Tatiana,

Não é isto o que o artigo diz apenas que é a raiz do problema. Quanto a sua afirmação sobre o primeiro marido, etc acho que deveria ter ficado com a última parte do que disse e eliminar as outras. Você disse: Deus é quem sabe, né? Deixar nas mãos do Senhor o juízo. Juízo sobre quem, é a questão. Uma coisa eu sei com certeza, a verdade sobre toda esta história vai prevalecer, só não sei se vamos ficar sabendo qual é. Afirmar que o pastor é isto ou aquilo e chamado de vigarista com base em informações da mídia, etc é uma precipitação enorme. Josimar Salum